terça-feira

Solto o Meu Cavalo

Solto o meu cavalo nas areias da praia, livre
de narinas frementes, cheirando o sal 
a maresia.
O mar enrola a sua crina, parecendo  manto de viúva , aberto à inclemência da intempérie, como asas de um anjo negro, alado, que ganha vida , no azul intenso deste mar .
Solto o meu cavalo aos segredos do mar, aos seus caprichos e ele revolteia feliz, girando sobre si mesmo , como se dançasse em comunhão com as ondas que enchem de espuma o seu pêlo sedoso e negro , como manto de veludo , ornamentando as vestes de um rei .
Solto o meu cavalo na rebeldia da mãe natureza , que o abraça num amplexo de espuma e sal e em conjunto entrelaçam coragem , vigor , força e determinação , solto o meu cavalo e solto com ele vai a minha ilusão.

imagem