domingo

Rimas Sem Rima

A minha poesia , sai em estrofes orvalhadas pelas madrugadas da emoção . Colho palavras , como quem ceifa espigas , fazendo eu poesia , como quem faz o seu pão . Ergo a voz como uma bandeira , fazendo das palavras a minha Pátria e das poesias as minhas armas .
Faço uma sementeira de ideias , lavro os campos da vontade e deixo a palavra florescer . A poesia leva muita da verdade que há em mim e o saber que acumulei a cada dia .
A minha poesia não cabe nas métricas dos versos comuns , não a faço por medida , nem a pedido e só mesmo a força da minha alma , norteia o meu sentido .
Perco-me nas trilhas que desbravo , deixo palavras de fugida , procurando outras paragens , deixo o sentimento que dou , procurando corações capazes de o acolher .
Não verso amor com dor , nem emoção com coração , espalho estrofes sem rima , rimando apenas com a razão .

1 comentário:

Val disse...

Boa noite Gonçalo!!!Querido,você é um poeta maravilhoso.Quantas vezes, rimar nos dá todo o conteúdo para uma grande história.
Rimar com as letras, rimar com as mãos, rimar com a alma e rimando com a vida...
Beijos com carinho!!!!

imagem