sexta-feira

A Sabedoria da Flor Amarela

Num certo jardim , todos anos florescia uma flor amarela, que durava uns dias , depois murchava e morria.
Um Dia Deus resolveu passear nesse jardim e começou a ouvir um coro de reclamações.
O chorão , começou a lamentar não ser igual à Palmeira que ficava mesmo em frente.
- Porquê? - Perguntou Deus.
O chorão repetiu que toda a palmeira tinha em si utilidade.
A fruta deliciosa, os ramos , e até mesmo o tronco imponente. Enquanto ele apenas florescia.
Mas por outro lado Deus ouviu a palmeira queixar-se. Queria ser chorão , porque a ela só a exploravam , enquanto a ele , só admiravam a sua beleza.
Todas as plantas e árvores daquele jardim tinham inveja umas das outras.
Deus ouviu pacientemente todas as reclamações, até que viu muito calada, a singela flor amarela.
E Deus perguntou-lhe porque não reclamava também.
A florinha respondeu , que antes olhava a palmeira e invejava a sua imponência, e desejava também produzir bons e deliciosos frutos .
Mas um dia parou e pensou , que se Deus tivesse querido que ela fosse como uma palmeira, ela a teria criado igual a elas.
Mas se Deus quis que fosse uma flor amarela , então era isso apenas que teria que ser.
Então a partir dai o seu único desejo e esforço era ser a melhor de todas as flores amarelas.

quarta-feira

Relógio do Tempo

Todos temos que aceitar o tempo , a sua lenta caminhada que às vezes nos parece tão longa.
Até o Céu tem horário para o dia e para a noite.
Se olharmos para a natureza que recebe sol, chuva e depois nos dá os seus frutos , entenderemos que na vida , umas vezes são horas de receber e outras de apenas dar.
Se lhe pedirem ajuda , ajude , mas não espere receber logo de seguida.
Temos que aprender que não estamos aqui para vencer, para ganhar , mas sim para aprender.
Que todos saibamos o momento exacto de dar e o momento mais oportuno para receber , sem nos tornarmos egoístas e vazios.

sábado

"Música da Tropa"



"Música da Tropa"


Fui à tropa, fui à tropa, e não passei de magala
Mas se entrava na caserna, todos batiam a pala

Estava eu a tomar banho, quase perdi a paciência
É que entrou o comandante e fez-me logo a continência

Quando tentei afastá-lo, ele mostrou-me os seus galões
Eu tive de lhe dar um pontapé...
...nos tendões

Refrão: Fui à tropa, fui à tropa e não passei de magala
Mas se entrava na caserna, todos batiam a pala

Logo no primeiro dia, já estava de arma na mão
Tinha-me dado o sargento, mas que grande espingardão

Ele quis-me ensinar a manejá-la com jeitinho,
tinha de pegar nela apontada bem ao alvo
e acertar no buraquinho


Uma homenagem aos militares, com alguma brejeirice mas principalmente com muito carinho.
Maria Manuel Batista

sábado

Pacto entre a minha língua e o meu coração

O meu coração e a minha língua fizeram um pacto, Quando o meu coração esta perturbado, a minha língua fica em silêncio.
As palavras sempre traduzem sentimentos e os sentimentos apoiam-se em ideias.
Quando os nossos sentimentos estão conturbados é impossível dominarmos as nossas palavras, e só podemos conter a fúria , com a força superior da nossa vontade.
Quando um coração está em fúria , saem palavras violentas , que ferem, e quando se deixa que o coração domine, surgirão frases e atitudes que magoam os outros.
Por isso opto por me calar quando o meu coração está ferido, porque se falar de certeza me arrependerei do que disser, quanto mais não seja do modo que o disser ou até do momento em que o disser.
O coração geralmente já não é um bom conselheiro, muito pior será quando se sentir ferido e incapaz de se dominar a si mesmo.

quinta-feira

Porque te amo!?

Amo-te porque te amo
não existe razão para o amor
amo-te do teu jeito
mas amar-te-ia de outro jeito
ou de um jeito sem jeito
que se acolhesse em meu peito.
Amo-te porque te amo
não sei dizer as razões
amo-te porque me possuis
na clareza do teu sorriso
no toque quente da tua mão
no carinho do teu olhar
amo-te porque te amo
sem saber explicar.
As sem razões do amor
que podem ser cem razões
podem ser milhares delas
sem as podermos qualificar
amo-te porque te amo
e será eterno o segredo
por desvendar fica o mistério
das sem razões de amar

segunda-feira

Fascínio da Mulher

Amo na mulher o seu perfume
o que se exala da sua pele
mas também as maravilhosas fragrâncias
daqueles frascos bonitos
que usam religiosamente.
Sinto-me atraído pelas suas mãos tratadas
pelos cremes e vernizes,
pelo seu eterno cuidado
emoldurado em esmaltes sóbrios.
Enternece-me o som da sua voz
a textura suave do som
igual a notas suaves
de uma irreal melodia de veludo.
Encanta-me o andar ágil e leve
a graça dos movimentos
e a sabedoria das caricias intimas
que despertam e me excitam.
Mas é no mais intimo da mulher
nos recônditos do seu corpo
que me sacio
e me satisfaço
desse mistério de magia e sedução

imagem