quarta-feira

Não sei quem sou

Perguntam-me quem eu sou
o que quero
para onde vou
o que fiz , o que sonhei
e digo sinceramente
que não me conheço , não sei...
Umas vezes sou fraco, outras forte
umas alegre, outras triste
feliz , às vezes , quem sabe
se é que a felicidade existe.
Não sou inicio nem fim
não conheço nem sorte nem azar
não conheço os nomes dos santos
nem ao menos sei rezar.
Umas vezes odeio, outras amo
choro e rio sem qualquer razão
entre acertos e enganos
guio-me pelo coração.
Não sou oráculo
nem sábio
não pretendo saber tudo
nem sei ser profeta
desconheço aquilo que sou
de mim , o melhor eu dou
alguns , chamam-me poeta...

1 comentário:

Val disse...

Boa noite Gonçalo!!!"Não sei quem sou".Gonçalo,todos seus poemas são lindos.Parabéns, pois tudo que sai do seu coração é maravilhoso, mostra o brilho de sua alma.Ser poeta é estar vivo, esperançoso e, mesmo que tenha ao lado o sofrimento, pronto para sonhar eternamente.Deus te proteja, querido.
Beijos com carinho

imagem