domingo

Hábitos

A gente habitua-se aos dias sem sol, à água da chuva nos dias cinzentos , ao vento frio que nos corta o rosto.
A gente habitua-se às crianças com fome , aos sem abrigo , às catástrofes mundiais.
A gente habitua-se a viver sem sonhos , a viver correndo , a viver por viver.
A gente habitua-se a frases falsas , a atitudes vazias , a trabalhos chatos, a espaços fechados.
A gente habitua-se ao medo , a viver com o medo , a viver por medo.
A gente habitua-se a viver sem amor , a viver sem esperança, a viver sem saúde.
A gente habitua-se a fechar os olhos , a deixar para depois , a não ver o óbvio.
A gente habitua-se a ser dependente , a ter hábitos , a viver mecânicamente.
A gente habitua-se , mas não devia.
Porque habituamo-nos a não ver , a não querer , a não sentir , para preservarmos uma vida a que a gente se habitua e que é uma mera corrente de hábitos e de dias sem sol.
E a isso a gente habitua-se ...

1 comentário:

Val disse...

Boa noite Gonçalo!!!lindo seu texto e do sonhos secretos também.Com os dois textos podemos fazer uma bela reflexão querido.Como no sonho tem varios comentarios então resolvi colocar aqui no doce lagrima.Gonçalo,mau é quando a gente se habitua e nem vivemos,apenas passamos pela vida aprisionados.Beijos com carinho

imagem