sexta-feira

Entrego-me

Entrego-me a ti em gestos lentos
mas confiantes
repletos de uma paz que me transcende
em amplexos de amor que são também ternura
em sorrisos cúmplices
de amor e ventura
Entrego-me a ti
na verdade de mim
na confiança que deposito em ti
nos meus passos vacilantes
que tantas vezes guias
entrego-me a ti
em momentos únicos
um horas de magia que preenchem a vida
em ondas suaves de amor e ternura
entrego-me a ti em verdade e loucura.
Entrego-me a ti
no tempo de um beijo
entrego-me a ti num instante mágico
entrego-me a ti no momento presente
entrego-me a ti como fonte de vida
entrego-me a ti como certeza presente
entrego-me a ti hoje , agora
como me entregarei eternamente...

1 comentário:

Val disse...

Bom dia Gonçalo!!!Toda doçura de sua alma em mais um lindo poema.È tão bela essa entrega total. A plenitude do amar.
Beijos com carinho

imagem