quarta-feira

Filho ...

Eu sou aquele que todos julgam conhecer
mas como pode isso ser
se na verdade , nem eu sei quem sou
sou um filho do mar
sou um filho da chuva
sou filho da mãe natureza
daquela que um dia de certeza
me pariu e me criou.
Perguntam-me quem eu sou
para lá do que mostro ser
das alegrias e dos sorrisos
mas nem eu me sei conhecer.
Sou talvez o que vocês querem
ou o que eu desisti de querer ser
apenas mais um poeta
um sonhador que se fez vida
no ventre de uma mulher.
Não me perguntem conclusões
seja lá daquilo que for
nem perguntem por opiniões
pois as prefiro guardar
porque naquilo em que sou bom
é no conceito de amar.
Amo tudo em redor
as pessoas que me sorriem
as que me amam também
as flores esquecidas da rua
ou as bem tratadas do jardim
amo o que me rodeia
mas nunca tive a ideia
de um dia me amar a mim.
Como posso eu amar-me
se nem eu sei quem sou
sou grito na noite escura
agonia que perdura
ou sorriso para nascer
talvez um dia ao morrer
lá para o sitio para onde vou
O Pai possa me acolher
e ai, sem duvidas dizer
a todos, e a mim , quem afinal eu sou...
Texto de Gonçalo Nuno de Assis com edição de Nuno Mello

2 comentários:

valquiria disse...

Boa noite Gonçalo!!!Lindo seu texto!!!Fez uma ótima reflexão querido.GOnçalo você é uma pessoa especial amigo,conhecemos sim,você uma alma linda e que nos transmite muito carinho.Será que eu errei???O pai com certeza nos dira e a você o que eu escrevi.Beijos com carinho

Lekka disse...

Oi, amigo!
Quantas saudades!!!!
Beijos
Lekka

imagem