segunda-feira

"Tenho Sede"

Durante a crucificação de Cristo e apesar da dor física que obviamente sentia, acredito que na verdade o que mais lhe doía bem no fundo da alma , era a indiferença com que o olhavam. Talvez ele conseguisse já antever , que essa mesma indiferença seria igual por muitos séculos ainda. Talvez nesse momento ele revisse toda a sua curta vida e sentisse dentro do coração a noção do quanto o sacrifício da sua vida era em vão. Acredito que mais amargo que o fel que lhe chegaram aos lábios , foi a ingratidão dos homens , a fuga dos amigos, a sua total solidão num acto a que fora conduzido sem saber porquê. E quando Cristo, exausto daquele suplicio injusto, gritou " tenho sede" foi-lhe dado vinagre , o mesmo que ainda hoje corre no coração dos homens. Acredito que ainda hoje , Cristo grite:- " Tenho Sede". Ainda hoje existe no nosso mundo , uma sede de paz e uma fome tão grande de compaixão e de amor.

Texto de Gonçalo Nuno de Assis com edição de Nuno F. Mello

1 comentário:

Val disse...

Boa noite Gonçalo!Adoro seus textos porque são verdadeiros em suas palavras e sentimentos.Gonçalo,você me fez recodar do poço do amor Jesus está cansado de andar pelas aldeias,nem sempre acolhido porém nunca desiste.Mais do que sede de água, ele continua com a sede de oferecer-se aos homens.É assim que começa o diálogo com a samaritana. Jesus não finge ter sede para puxar conversa com ela. Ele quer que, em troca da água do poço - que a mulher pode lhe dar - seja ela, na realidade, a pedir-lhe uma outra água. A água que somente Jesus pode dar, a qual ele mesmo chama de água viva. Aquele homem, tão diferente, oferece algo inesperado àquela pobre mulher, rejeitada pelos maridos e ferida no amor: uma água capaz de tirar toda sede e que, por sua vez, transforma-se em fonte que jorra para a vida eterna.
Essas palavras são misteriosas para quem nunca encontrou Jesus de verdade, todavia são palavras transformadoras para quem o conhece, ao menos um pouco. O que acontece a quem pede e aceita de Jesus a água da vida? Começa a ver as coisas e as pessoas como ele mesmo as via. Começa a acreditar numa vida nova, feita de amor e de doação, acima da satisfação das próprias necessidades e do próprio orgulho.Enfim, essa fonte de amor nunca se esgota,o reconhece em todos aqueles que precisam de amor.
O amor doado se multiplica, porque quem o reconhece, aprende a amar e quer amar também. A fonte do bem, da vida doada, da generosidade, nunca seca. Jorra com mais força ainda. Quem sabe amar passa a ser uma fonte de amor.
Quando falamos de Cristo,falamos nos ensinamentos que ele nos deixou.Não são todos que querem ouvir e seguir querido.A passagem dele realmente foi pequena entre nós,e nos deixou o que é mais bonito o amor ao proximo e ter fé.
Beijos com carinho a Maria e você.

imagem