domingo

Os Lobos

Um Senhor bastante idoso
escutou com atenção quando o seu neto ainda garotinho
foi contar-lhe o quanto estava magoado com um menino que o tinha enfurecido.
O avô escutou-o atentamente e resolveu contar-lhe uma história:
- Olha meu neto , eu muitas vezes também senti muita raiva de alguns meninos que aprontavam comigo. Ainda mais se não os via arrependidos do mal que me tinham feito. Mas também cedo descobri que o ódio que a mim me corroía , não atingia os meus inimigos. Só a mim mesmo fazia mal. É como se eu tomasse veneno esperando que o meu inimigo morresse. Eu tentava lutar contra este sentimento , mas não conseguia. Era como se dentro de mim morassem dois lobos, um doce e terno que não magoa, que vive em harmonia com todos que o rodeiam e que não se ofende quando alguém diz algo tentando ferir. Ele só luta quando acredita que fazê-lo é o caminho mais certo. Mas o outro lobo é de todo raivoso, qualquer coisa por mais insignificante lhe provoca ira e ele briga com todos , todo o tempo , por instinto , sem pensar, porque o ódio lhe tira a capacidade de raciocinar. E é uma raiva inútil , porque aqueles ataques de fúrias não vão resolver nada. É muito complicado conviver com estes 2 lobos dentro de mim, porque ambos tentam fazer prevalecer a sua vontade , sobre a minha. O menino escutou com atenção e perguntou: - E qual deles vence essa luta avozinho?
O avô pegou-lhe ternamente na mão e sorrindo disse: - Meu neto , vence sempre aquele que eu alimento!
Por isso é necessário alimentar dentro de nós a capacidade de amar e de respeitar os outros. De compreender e aceitar as diferenças. Porque o ódio é simplesmente destrutivo e destrói sempre quem o nutre...

2 comentários:

Teresa Augusto Shanor disse...

Tens razão, querido Gonçalo, quando nos mostra, neste sábio texto,que precisamos cuidar dos nossos dois lado com muita atenção, pois o ódio nos enfraquece e boicota a nossa felicidade. Ou seja, o feitiço acaba virando-se contra o feiticeiro. Não podemos ser felizes, tendo como base, a infelicidade alheia.

Val disse...

Se você observar bem Gonçalo, são pessoas mal amada, frustrada, ciúme doentio e enfim, não tem Deus no coração.
Temos que entender, que o ser humano não é perfeito.
Por não sermos perfeitos, cada um se apresenta de acordo com sua evolução espiritual.
Tudo que acontece na nossa vida, é lição de aprendizado.
Muitas vezes o ser humano paga caro para aprender.
Voltando ao assunto ódio, devemos entender que pessoa que trazem este sentimento no coração, deve sofrer muito, pois ódio gera enfermidade e nunca será feliz.
Quem não aprendeu a perdoar, não conhece o valor do perdão.
Quem não perdoa, será sempre rancorosa, carrega consigo nuvens de antipatia.
Poderá ficar sempre sozinha, pois ninguém gosta de conviver com negativismo.
Feliz daquele que perdoa, caminha leve e ligeiro, pois não trás sobre os ombros o fantasma da desarmonia.
Perdoar sim, odiar jamais.
Beijos com carinho

imagem