segunda-feira

Cristo na cruz há 2000 mil anos

Nenhum ser humano amaria tanto os outros
que fosse capaz de dar a vida de um filho
para salvar o próximo
ou mesmo outros filhos...
E muito menos deixaríamos um filho sofrer
nas mãos de pessoas ignorantes
tão falhos de gratidão e de amor
E Deus deu-nos o seu filho
E nós tantos anos depois
mesmo vivendo num mundo que Deus criou perfeito
que visava a nossa vida em plenas condições
de abundância e felicidade,
não entendemos nada
não agradecemos nada.
Continuamos sem saber respeitar o próximo
sem saber amar os que nos rodeiam
Ainda não sabemos dar
sem esperar algo em troca
Não aprendemos a repartir
para que a ninguém falte o essencial.
Não respeitamos a casa que Deus nos ofereceu
para a legarmos a nossos filhos
plena de vida
Cristo pediu ao Pai
que perdoasse a humanidade
porque não sabia o que fazia
e infelizmente ainda hoje não sabemos.
O Pai que tem uma bondade infinita perdoou
perdoou a dor e o ultraje feito ao amor
à paz
e à caridade do seu filho
E nós não aprendemos nada com esse perdão.
Continuamos a errar
e o Pai a perdoar
Mas e até quando contaremos com essa clemência?
Quanto mais tempo será preciso
para abrirmos o coração a Deus?
Cada vez que chega uma sexta feira de Paixão
recordamos contritos a dor de Cristo
ficamos tristes
Mas o dia passa
esquecemos e deixamos passar mais um ano
sem nada fazermos.
E era tão fácil começarmos pelo primeiro ensinamento
"AMAI O PRÓXIMO COMO A VÓS MESMOS"
E quando todos nós praticarmos esse amor
não só na sexta feira de Paixão
mas em todos os dias do ano
Cristo descerá finalmente da Cruz
onde a nossa indiferença ainda o mantém

1 comentário:

Val disse...

Boa noite Gonçalo,seus textos estão maravilhosos querido.Mas uma só atitude pode ecoar mais alto que milhões de palavras.Não precisamos gritar para que Deus ouça do Seu trono que nós o amamos, basta um gesto silencioso na direção do nosso próximo para o amor que sentimos por Deus ecoar na vastidão do universo.
Enfim,Ama-se sempre o próximo quando se ama verdadeira e prioritariamente a Deus, mas infelizmente nem sempre ao contrário...Logo no começo citei gritar a Deus ou cantar a Deus devido alguns cristãos agem assim;e não precisa fazer isto; Deus não gritou do Seu trono que nos amava Deus não gritou do Seu trono que nos amava. Ele desceu do trono, se humilhou e se fez semelhante a nós. Ele caminhou entre nós.
Desculpa Gonçalo escrevi muito,mais eo que eu penso querido.
Beijos com carinho

imagem