terça-feira

O meu nome é Paulo Branco, sou amigo do Gonçalo desde o tempo da escola, quis passar por aqui e deixar uma homenagem simples a um menino que cresceu comigo. Ele detesta as fotos dele de criança mas espero que me perdoe porque é do tempo de criança que queria falar hoje. Ele foi meu colega de escola, meu amigo de anos e anos e mesmo mais tarde tendo partido para os EUA sempre mantivemos esta amizade. Honra-me a amizade de um homem que conheço há anos e anos, que sempre se mostrou frontal e defensor de vários ideais. Senhor de um orgulho a toda a prova, foi e é um dos meus maiores amigos. Não tenho nada de especial a dizer aqui, somente que o admiro como homem. Que sempre o admirei, admirei também sempre a sua capacidade de acreditar em ideais e lutar por eles, de defender quem precisa, de ajudar , dar a mão. Desenganem-se os que pensam que lhe estou a dar uma capa de santo, porque de santo ele nada tem. Apenas ao remexer uma caixinha de recordações, ao lembrar os tempos tão distantes da minha infância caiu por mero acaso essa foto de entre outras. E dela nasceu o desejo de fazer uma singela homenagem ao homem em que este menino se transformou. Peguei a foto, emoldurei-a de um jeito que sei que ele gosta e resolvi editar no blog que ele adora e onde mostra a todos nós muito da sua alma pura. O Pedro acatou a ideia e deu-me a senha, é apenas uma brincadeira com um fundo muito sério, uma homenagem a um amigo especial. Uma dessas pessoas que como se costuma dizer são cartões que já não há. Para mim és um amigo muito querido que tive a sorte de conhecer desde menino. Acompanhei todas as tuas lutas, os teus medos, as tuas vitórias, os teus fracassos, poucos graças a Deus. Aprendi a admirar-te como uma pessoa muito franca, leal, terna e ao mesmo tempo justa. Uma pessoa que se guia por valores que infelizmente vão ficando esquecidos. Uma pessoa de uma sensibilidade extrema que se magoa com muita facilidade exactamente porque fervilha de emoções. Alguém que compreende e aceita, que não julga e que eu nunca ouvi a dizer mal de alguém pelo prazer de denegrir. Alguém que com uma profunda calma vê literalmente dentro se nós, que pressente a mentira e que parece ver o fundo da nossa alma. Mas mais que tudo isso uma pessoa de palavra, alguém que honra uma palavra dada, que é capaz de sofrer para não faltar a ela. Por isso tudo meu querido amigo e por seres o doce e carinhosó ser que és, por nunca recusares a ninguém uma ajuda, uma palavra, um abraço, eu deixo aqui esta singela homenagem. Nada de especial amigo, porque não tenho o teu dom para a escrita, mas muito sincera. Aquele abraço de sempre... Até já

PAULO BRANCO


2 comentários:

Valquiria disse...

Parabéns Paulo lindo texto!




Os dias dos sorrisos traquinas, da liberdade, das brincadeiras, dos passeios, das corridas, dos jogos de futebol.um mundo de coisas que mudam com os tempos! Mas que continuam guardados num cantinho do coração, para se recorrer a eles quando é preciso! São assim as memórias! E estas são doces memórias que embalam estas noites quentes que nos fazem contemplar as estrelas e sorrir pensando!

vania disse...

Olá,passeando por amigas, cheguei ate seu cantinhu, que pelo sinal é muito lindo ,gostaria muito de fazer novas amizades, por isso te ofereço meu award,espero sua visita,um lindo final de semana bjus

imagem