quarta-feira

Janela

Há uma janela na alma
que mostra a cor dos sentidos
que escondemos da luz do dia
há uma janela na alma
que só abrimos quando queremos
com medo de nos mostrarmos
como verdadeiramente somos
Há uma janela na alma
que se fecha sob olhares
que nos tentam desnudar
invadir o que se esconde
na penumbra de nós mesmos
Há uma janela na alma
que filtra os raios de sol
que teimam em colorir
as trevas em que nos escondemos
Há uma janela na alma
que fechamos por recato
por medo
por covardia
uma janela que se abre
quando outra alma te toca
e as duas se unem numa só
sem mais lugar a segredos
Então a janela abre-se
findam para sempre os medos


2 comentários:

Valquiria disse...

Não sei o que mais me fascina nos teus textos...Tudo o que vemos, deve transformar-se numa LUZ, em otimismo!!! Há que abrirmos as janelas da nossa alma para deixarmos entrar a LUZ dentro de nós mesmos!!! Fico iluminada cada vez que entro no seu blog !!! Obrigada, Gonçalo por ser quem é, uma pessoa especial! Tenha muita LUZ!

miguél disse...

Mais uma vez tenho que concordar com minha amiga Valquiria, Gonçalo vc é alguém muito especial, iluminado por Deus e por uma alma terna, pura e mágica. Seus poemas nos dão tudo o que de mais belo há num ser humano, só posso dizer a vc o quanto o admiro e respeito como profissional e ser humano. Que Deus proteja vc

imagem