sábado

Fantasma

Lembro-te como luz azul
que escorre pelos meus olhos
embevecidos
nas noites de luar eterno
em que tu vinhas
Lembro-te como sombra
de paz
nuvem
que cobria a minha alma
dorida
e fazia nascer sonho
Lembro-te como cor
de uma claridade
incandescente
que me cegava
nas trevas da escuridão
e era fria
ao toque da minha pele
Eras fantasma de ternura
luz que não se apagava
mistério por descobrir
hoje já não és fantasma
és amor que me dá a mão
que me ajuda
na hora de eu partir!!!




quarta-feira

Homenagem a todas as mulheres



Que mulher nunca teve
Um sutiã meio furado,
Um tio meio tarado
Ou um amigo meio viado?

Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan prá dormir?

Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta,
estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?

Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?

Que mulher nunca penou
Prá ter a perna depilada,
Prá aturar uma empregada
Ou prá trabalhar menstruada?

Que mulher nunca acordou
Com um desconhecido ao lado,
Com o cabelo desgrenhado
Ou com o travesseiro babado?

Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis,
por ansiedade,
Uma alface,
no almoço,
por vaidade Ou,
um canalha por saudade?

Que mulher nunca apertou
O pé no sapato prá caber,
A barriga prá emagrecer
Ou um ursinho prá não enlouquecer?

Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?


Desconheço o nome do autor ou autora



sábado

TU


Houve um tempo em que tu vinhas
devagarinho para mim
e ficavas entretida
brincando feito criança
nas linhas da minha vida
Houve um tempo em que tu vinhas
feita menina
e mulher
tu contavas -me sorrindo
histórias que me alegravam
de outra realidade qualquer
e eu ficava contigo
tão feliz
entretido
no teu corpo de mulher
Depois a vida traçou
as linhas do seu destino
que uma mão mágica escreveu
tu vieste para mim
mais uma vez devagarinho
nunca mais eu fiquei sozinho
e com tuas mãos de menina
traçaste o destino
em que para sempre sou teu

quinta-feira

Sou fera

Sou fera ferida
enjaulada
na prisão de uma vida
sou fera ferida
por dor
por cansaço
fera perdida
Sou fera ferida
fera cansada
fera que a vida
nunca poupou
Sou fera ferida
cansada de doar
cansada de esperar
de sonhar
e de aceitar
o que a vida reservou
Sou fera ferida
na alma
no corpo
no coração
sou fera ferida
lutando
e ferindo
por defesa
por vingança
por paixão
Sou fera ferida
que fuja de mim
quem me feriu
porque fera cansada
triste
isolada
não perdoa mais nada
nem quem a traiu

quarta-feira

Perdi-me


Perdi-me no meio de sombras
sombras frias
cinzentas
perdi-me no meio de sombras
de um passado triste
que me assombra
Perdi-me em palavras esquecidas
passadas
tão sofridas
Perdi-me num mundo irreal
cinza
onde o sol não nasceu
onde o calor não chega
a luz não consegue vencer
perdi-me num mundo tão estranho
numa clareira de dor
perdi-me num mundo de sombras
em que a luz que me guia
é a luz resplandecente
que nasce no teu amor
Por mais que eu me tenha perdido
pegas na minha mão
e mostras-me o caminho
que se encontra assinalado
a ternura
dentro do teu coração


segunda-feira

PARA TI PAI

Papa,tu és um herói!

Dizes que sou o futuro,
Por favor Papa
ampara o meu presente,
Dizes que sou a esperança da paz,
Não deixes que o mundo me induza à guerra,
Dizes que sou a promessa do bem
Preserva-me do ódio que leva ao mal,
Dizes que sou a luz dos teus olhos
Não me abandones às trevas,
Não espero somente o teu pão,
Quero sentir o calor da tua mão na minha,
Não desejo somente a festa do teu carinho,
Suplico-te o carinho que educa,
Não sou apenas o ornamento da tua vida,
Quero ser o orgulho de todos os teus momentos,
Dizes que sou o futuro de um amor puro,
Não permita que nada macule a minha pureza,
Dizes que vivo no mundo da fantasia,
Orienta-me para que:- meus sonhos sejam de bondade,
- meus atos sejam de justiça,
- minha fé em Deus seja inabalável.
Ensina-me o valor do trabalho,
a nobreza da humildade,
a força do perdão,
e sobretudo,papa, eu te peço,
corrige-me enquanto é tempo...
ainda que eu sofra...
Ajude-me hoje,
para que amanhã...eu não te faça chorar.

Pai com a ajuda do Pedro, entrei nos teus dois blogs para te deixar textos, não sei escrever como tu, quero apenas deixar-te o meu eterno obrigado pelo pai maravilhoso que és

MARCO ANTÓNIO



sexta-feira

Perdi-me

Perdi-me nos olhos da noite
e era tarde , muito tarde
quando vi que me perdi
perdi-me em caminhos trocados
por outra mão traçados
e não vi que me perdi
Perdi-me nos olhos da noite
o dia foi devagar
e eu tão perdido, não vi
não vi que o dia findava
no seio da noite infinita
que sorrindo, me aguardava
Perdi-me nos olhos da noite
que era doce e suave
e não vi que me perdia
entreguei-me a ela cansado
e só vi que me perdi
quando mesmo ao meu lado
dei pelo dia claro
que em silêncio me fugia



quarta-feira

VEM




Vem falar-me de amor

daquele escrito nas estrelas

que nós tão bem conhecemos

Vem, vem falar-me de amor

desse amor que nasceu

na madrugada dos sentidos

Sim , fala-me de amor

de ternura

de emoções

que nós sentimos a par

vem, vem meu amor

segura a minha mão

solta o teu coração

fala de amor

sim vem falar

Ensina-me a entender

o brilho do teu olhar

a doçura do teu sorriso

vem, fala-me de amor

desse amor que nós sentimos

desse que é nosso guia

e é também nosso senhor

vem, calma e tranquila

deita-te na minha cama

devagar

junto de mim

Vem, na madrugada

da noite tão desejada

e fala-me de amor

somente de amor



terça-feira

A TUA IMAGEM


Vejo-te nua
dentro dos meus olhos
a minha retina
cria a tua imagem
bela
A tua pele guarda
o cetim das pétalas das rosas
a cor nacarada
dos lírios imaculados
e puros
O teu corpo nu
nas formas adivinhadas
é ainda
campo onde me perco
e divago
imerso num sonho
de palavras
cujo sentido já adivinho
palavras onde me perco
onde me encontro
Imagem a que sorrio
e me entrego
sinto no centro do meu mundo
existe um outro mundo
um mundo guardado
no meu coração
um mundo onde um dia me perdi
e me fechei
num canto mágico de emoção
palavras
tão pequenas
que foram semente e fruto
dessa tua imagem nua
que divaga
inclemente
dentro da minha alma
que a sente sempre presente
e volta
a viver de pensamentos
e gestos
de palavras
Guardo na minha retina
a tua imagem
uma pintura divina

segunda-feira

MEDO


Tenho medo do medo
que às vezes trago comigo
tenho medo
desse medo que me persegue
que guardo no peito
em silêncio
tenho medo
do medo que tenho
desse medo que não confesso
e que guardo em mim
como segredo escondido
talvez porque tenho medo
do medo
desse medo que ainda sinto
Tenho medo
deste medo
que trago comigo guardado
que não revelo a ninguém
tenho medo
deste medo
que guardo em segredo
sou como menino perdido
com medo
do medo que tem
Mas depois de madrugada
junto com a luz do dia
vem o teu sorriso
o teu abraço
e o medo que ainda tenho
atenua
desaparece
como se o próprio medo
perecesse em segredo
minado pelo cansaço
Tenho medo
do medo guardado
no fundo do coração
medo
medo que desaparece
ao toque da tua mão

domingo

Anjo da noite



O Sol morreu lá fora
a noite cai
o último raio beija o meu rosto
numa despedida cálida
triste
que me fala de um final
que é final de palavras
de gestos
de momentos irrepetíveis
e vem a noite
devagarinho
calçando os sapatos negros
de cetim
com seu manto de estrelas
cruzado nos ombros
eu sorrio
porque sei que esta noite
tu virás
e tocarás o meu rosto
com as tuas asas
asas que te imagino
e te concedo nos meus sonhos
Sei que a tua boca
roçará a minha
e as tuas mãos ternas
passarão de leve no meu cabelo
Sei que virás
anjo que inventei
numa longa noite
da qual não quero acordar
porque quando o dia nasce
o sol leva com ele
a luz do teu olhar

sábado

Parabéns pelo 1º Aniversário do Docelágrima



Há sempre um dia em que uma ultima lágrima escorre pelo rosto e desliza em direcção ao chão onde se mistura ao pó da rua e lá fica para sempre ignorada de todos, até que o vento árido a enxugue e da sua lembrança nada mais reste.



Foi assim que há um ano, no dia 3 de Março nasceu este blog. Muitos amigos pediam ao Gonçalo que escrevesse num blog, num local onde fosse acessível a todos. Até esse dia ele sempre recusou, escrevendo apenas em Inglês num site que se chamava Nuno's Site e que tratava apenas de assuntos políticos ou de Direito. Assim foi muito agradável quando ele resolveu criar este blog e escrever. Dando-nos a oportunidade de ler textos escritos ao sabor de uma alma quase mágica. Tomei a liberdade meu amigo de invadir o teu blog cuja senha tu mesmo me deste para adicionar componentes e quero fazer-te a surpresa de te deixar aqui o meu muito obrigado pelas emoções que me tens dado ao longo deste ano, a mim e a todos os teus amigos e leitores. Tenho orgulho de ser teu editor, de nos teres dado o privilégio de transformar pedaços da tua alma num livro que será um testemunho de toda a beleza que existe dentro da tua alma, do teu coração. Sou teu amigo há muitos anos, acompanhei a tua vida e sei o quanto maravilhoso tu és como ser humano. Os teus textos muitas vezes me arrancaram lágrimas, outras vezes sorrisos, outras ainda envolves-me num sonho que por momentos me mostra um mundo que não conheço de uma pureza difícil de alcançar. Não me vou alongar mais a elogiar-te porque me iria repetir e nada mais iria adiantar. Perante algo muito belo apenas se pode dizer:- É belo!! Para além disso todas as palavras são desnecessárias e repetitivas. Desejo que continues a escrever neste cantinho de doçura e sonho e que Deus permita que a partir de hoje todas as lágrimas que chorares sejam realmente doces, para que seja verdadeiro o título que escolheste para o teu blog. Desculpa amigo ter invadido a tua privacidade e este canto onde fazes arte e sonho com as minhas banais palavras. Do fundo do coração deixo-te os meus parabéns pela tua obra aqui criada. Parabéns meu amigo. Felicidades





Pedro Lyon de Castro

Há uma Lua


Há uma lua que brilha
num céu feito de palavras
onde as estrelas são sorrisos
inatingíveis
fora do alcance dos mortais
Há uma lua distante
que sorri na noite que passa
à ternura dos sentidos
que ficam presos no gelo
de um inverno da alma
Há uma lua que brilha
distante
e tão presente
num momento em que ausente
se torna presente
a saudade
Há uma lua de amor
distante
que brilha no céu de breu
onde não há piedade
pelas lágrimas derramadas
e no brilho da lua
dessa lua sempre minha
ainda que num céu distante
esta traçado o caminho
onde minha alma extasiada
para sempre se perdeu
Há uma lua que brilha
sempre
sempre sem cansar
e não se pára de iluminar
um caminho que é só meu

quinta-feira

DIA DA MULHER

Para ti mulher
Que és irmã
mãe
amante
mulher que tomas
nos ombros
a tarefa de criar homens
moldar o mundo
Mulher que floresce
no seu ventre
a semente
que o amor fez nascer
mulher
força
ternura
carinho
doçura
apenas mulher
Mulher
amparo
abrigo
abraço que afaga
colo que oferece
um mundo de amor
hoje é teu dia
dia celebrado
em tua homenagem
Mulher
da criação Divina
o mais belo ser
Parabéns
pelo teu dia
sendo
que afinal todos os dias
são dias da Mulher

A TODAS AS MULHERES
O MEU RESPEITO
E A MINHA SINCERA HOMENAGEM

terça-feira

Loucura


Perco-me na antecipação do prazer
que quero arrancar do teu corpo
espero-te na nossa cama
lençóis de cetim rosa
que nos acariciam os corpos nus
Deito-me e espero
espero ouvir os teus passos seguros
que caminham para o quarto
que é templo de desejos
que sentimos a dois
Despes-te para mim, sorrindo
esperando que eu te abrace
mas fico quieto
apenas vendo
querendo
sem tocar
Nua, deslizas nos lençóis
que roçam o teu corpo
e te arrepiam
As velas acesas
que exalam um aroma delicado
e o incenso afrodisíaco que queima
lentamente
criam para nós uma atmosfera
irreal
que nos seduz
enlaço o teu corpo suave
que ainda cheira ao creme
que faz a tua pele ser seda
Bebo na tua boca o mel
que me adoça os sentidos
como um néctar
as minhas mãos percorrem
a tua pele
Sentindo que te arrepias
ao toque das minhas mãos frias
Lentamente o teu corpo
abre-se para mim
numa promessa de entrega
que me enlouquece
Percorro com a boca húmida
a tua pele quente
perfumada
as minhas mãos percorrem
as tuas curvas
acentuadas
Com as mãos trémulas
agarro os teus seios
aperto os mamilos
e ouço o teu gemido
meio de dor, meio de prazer
é teu corpo romã
cuja doçura me enlouquece
e a minha boca procura
a essência do teu ser
O teu sabor na minha boca
enlouquece-me
e percorro com os dedos
o teu jardim secreto
que se abre para mim
Nossos corpos sedentos
procuram-se
numa sinfonia de amor
que só nós dois conhecemos
envoltos na êxtase dos sentidos
em corpos loucos
unidos
até a madrugada nos perdemos
muito
muito tempo depois
abraçados
saciados
adormecemos serenos

A TUA BELEZA

A tua beleza é sublime
na tua fragilidade de mulher
no teu jeito sereno
no teu olhar suave
teu sorriso delicado
A tua beleza é sublime
nos teus gestos ternos
nas palavras que me dizes
como melodia que me embala
A tua beleza é luz
que se irradia do teu rosto
quando sorris
delicada
e me envolves
na ternura que me conquistou
a tua beleza
está no calor do teu abraço
quando te doas a mim
num amor sem medida
a tua beleza está
nas madrugadas que me pintas
de um encanto desconhecido
no amparo que me dás
quando caio
ou vacilo
o teu corpo
minha estrada
quando me sinto perdido



segunda-feira

Não sei

Não sei porque ainda escrevo
se não encontro palavras
para escrever o que sinto
e tanta vez ao escrever
por não saber como dizer
calo sentimentos, e minto
Não sei porque ainda escrevo
se me perco no que digo
e fica por dizer
aquilo que queria falar
e tanta vez a escrever
acabo por dizer
o que deveria calar
Não sei porque ainda escrevo
se as palavras se repetem
frase a frase
monótonas
cinzentas sempre iguais
talvez porque escrevendo
eu perco-me num sentimento
que já é grande demais
Não sei porque ainda escrevo
se enrolo frases que escondem
aquilo que não sei falar
talvez porque ao escrever
a dor fica presente
e a saudade teima em aumentar
Não sei porque ainda escrevo
palavras sempre iguais
nas quais me disperso e divago
ao escrever escondo a dor
e deixo em frases de amor
escondida a dor que em mim trago
Não sei porque ainda escrevo
palavras que trago guardadas
de um tempo tão distante
que lembra a eternidade
talvez porque olhando teus olhos
eu sinto que ainda me perco
num Oceano de saudade

Encontro-te

Encontro-te no meu pensamento
nas memórias inconfessáveis que guardo
bem dentro de mim
Encontro-te nos silêncios que vivo
nas palavras que não trocamos
nas horas mortas de um dia pesado
de chumbo
Daqueles que esmaga os sonhos
Encontro-te perdida na bruma
onde mergulho sem norte
por caminhos que não conheço
encontro-te no seio da vida
do meu desejo
do meu desespero
Encontro-te na sombra que turva o meu olhar
quando na tarde calma
as cores perdem o brilho
e a lágrima retida
desliza docemente pelo meu rosto
Encontro-te na rosa
que calmamente deixa cair as pétalas
como lágrimas perfumadas sobre o meu rosto triste
Encontro-te na noite que me abraça
quando a lua nasce tímida
e mostra a face dourada
por entre as nuvens que a protegem
Encontro-te em tudo que eu vejo
em tudo o que eu toco
em tudo o que me rodeia
Já nem te encontro
porque tu estas aqui
plena de vida
gravada a fogo
deslizando nas minhas artérias
qual seiva quente
é preciso que te encontre
é urgente
achar-te dentro de mim

sábado

Vem Comigo

Vem, vem ver o mar
vem comigo
traz um sorriso
aquele sorriso teu
meio travesso
irrequieto
de menina
Vem comigo ver o mar
descalça
sente nos pés
a carícia
da areia que pisamos
Vem, vem ver o mar
não quero ver-te triste
então, sorri para mim
inunda os teus olhos
do azul
da magia deste mar
tão amigo
confidente
Vem, vem ver o mar
recebe no teu rosto
a carícia suave da brisa
que nos despenteia
e seca nos meus lábios
a lágrima que rolou
Vem, vem ver o mar
traz contigo a ternura
o amparo
o carinho
com que acompanhas
meus passos
ao longo da nossa vida
vem, vem ver o mar
que brinca
fazendo espuma
nessa areia que ama
que para amantes sedentos
é ao entardecer
a mais tentadora cama
Vem,vem ver o mar
deixa quieta a saudade
de tudo que não vivemos
a vida nasce agora
no momento em que sentimos
que um ao outro , pertencemos


Se Um Dia


Se um dia eu te perder
deixa o dia amanhecer
na paz do teu sorriso
Que minha alma atormentada
renasça na madrugada
de uma noite de amor
Que se um dia eu te perder
eu te leve para sempre
eternamente presente
para onde quer que eu for
Que se um dia eu te perder
se faça sol doirado
no momento do adeus
que a minha lágrima caia
testemunha secreta
de um amor que não morreu
Se um dia eu te perder
que se ouçam no céu lamentos
que chorem os poetas
que cantam ainda o amor
que na voz mágica dos ventos
que tocam minhas faces desertas
carentes de teu carinho
se faça eco da melodia
aquela doce magia
que para sempre nos uniu
Que se um dia eu te perder
eu possa sempre dizer
que não estou sozinho
porque no meu coração
estarás para sempre
como rainha
senhora
e mesmo que passem os anos
este amor que hoje sinto
jamais se irá embora
que se um dia eu te perder
fique guardado em meu peito
este amor que não esqueci
e que eu possa sempre dizer
que se um dia te perder
desenganem-se os que lamentam
os que festejam
os que celebram
porque dentro de mim
dentro de mim meu amor
eu sentirei para sempre
que nunca te perdi!!!

sexta-feira

Cabe a nós

Cada dia temos uma nova partida
novas descobertas
novas concretizações
cada dia temos alegrias
tristezas
dores
cada dia é uma caminhada
um novo início
uma nova chegada
cada novo dia é esperança

lição de vida
cada dia traz consigo lutas
vitórias
derrotas
Cada dia é uma meta
um ponto de partida
uma vitória alcançada
Não interessa
que às vezes apareça o sofrimento
em cada dia
temos que buscar alento
sorrir
caminhar
porque nesta vida
tanto o ganhar
como o perder
resumem-se apenas
a algo maravilhoso
belo
um milagre
que se chama viver



quinta-feira



Sonho contigo

Invento-te no meu sonho
recrio-te no meu abraço
e sinto-te
sinto teu beijo na aragem
que acaricia o meu rosto
quando a tarde cai
Ouço teus suspiros no mar
que acarinha o meu corpo
e me salpica o rosto
com as tuas lágrimas salgadas
Sinto a tua ternura
no cantar dos pássaros
que alegram o meu dia
devagarinho
quando a lágrima cai
Vejo teus gestos felinos
o teu olhar sedutor
na graciosidade de uma gata
que se estende ao sol
meiga
e imprevisível
Sinto os teus lábios
no toque macio
de uma rosa
que deixa cair uma pétala
sobre a minha mão
sinto-te
recrio-te na natureza
deixo-te solta
livre
fico à espera
mas á noite
quando dormes
eu prendo-te secretamente
dentro do meu coração



imagem