terça-feira

Tanta Vez

Tanta vez me perguntaste
coisas
Que não fui capaz de responder
Tantas vezes o não sei
talvez
quem sabe
sim
calaram as respostas
que eu não te conseguia dar
Tanta vez adivinhei
perguntas que não fizeste
silêncios que pesaram
momentos que se perderam
Meu amor tanta vez
Quantas vezes eu não falei
brinquei
deixei que o sorriso
escondesse a lágrima
que uma brincadeira
encobrisse a dor
Mas mesmo não falando
as respostas
sempre tas dei
dentro do meu coração
Nunca choraste uma lágrima
que eu não sentisse
nunca deste um sorriso
que eu não amasse
nunca nos perdemos
no emaranhado de sentidos
que norteia a nossa vida
Sim
Tantas perguntas
deixei sem resposta
tantos momentos
parei
quieto
sob o peso das palavras
que não foram ditas
que ficaram presas
nos nossos lábios
Tanta vez
eu deixei a lágrima cair
sem responder
Só não deixei sem resposta
a pergunta que não fazes
porque a resposta
essa tu sabes
no fundo do teu coração
O que nos une é amor
não importa se há dor
se existe medo
ou incerteza
pode até ser loucura
mas o sentimento
que em nós perdura
é amor de certeza !!!


1 comentário:

Milú disse...

Olá,amigo!

Todas as mágoas são suportáveis quando fazemos delas uma história ou contamos uma história a seu respeito. Quando se ama, tudo é loucura e disso vive um amante. Teus blogs se tornaram o teu refúgio. Não te refugias. Apenas agrada-te a ideia de que te permites num espaço só teu, ainda que todo o teu mundo venha na bagageira. E então vives todos os momentos que foram. Todos os que poderiam ter sido e que se perderam na angústia do medo. É por isso que te refugias?. Porque à tua frente está um precipício e não há lugar entre ti e o nada... tudo fica para trás, toca-te no ombro, sussurra-te ao ouvido... mas à tua frente apenas o fundo invisível do abismo onde não há opções, onde tudo se desfaz e se esquece numa bruma que parece sempre afundar-se e diluir-se... eu te percebo bem, porque também eu sinto assim. E descarregas aqui a angústia de te reinventares. Mas livrares-te da nostalgia implica raspar a alma, até se renovarem peles e camadas e se perderem memórias, alegrias, tudo... E não tens coragem. Quem tem?? E agora? A bruma enegrece os limites. Quem és tu, agora que não és? Que não és quem sonhaste um dia... poeta de mil tons, de mil palavras, de mil encantos... que teu sonho, teu desejo, um dia, seja conquistado. Beijo de carinho

imagem