sexta-feira

Chuva

Nossos corpos unidos num abraço
a chuva corre
lavando lágrimas
de uma ternura cúmplice
sorrimos
as nossas bocas trémulas procuram-se
e encontram-se
num beijo
que tem o sabor a morangos
acabados de apanhar
Nossos corpos estreitam-se
sentimos as formas
o calor
o desejo cresce
sorrimos
Aquele sorriso que é promessa
uma promessa de amor
de partilha
de um prazer consentindo
permitido
desejado
A chuva cai
cola os nossos cabelos
no rosto
e a roupa molhada
mostra-me o contorno dos teus seios
O meu desejo cresce
abraçados
unidos
sentes o apelo do meu corpo
e ris
Esse sorriso feito de expectativa
de consentimento
de antecipação
A chuva cai sobre nós
alheados dela
envoltos em chamas
que já nos devoram
Sei os segredos do teu corpo
as trilhas que devo percorrer
conheço o som do teu desejo
os teus gemidos suaves
que se confundem com a chuva
As minhas mãos impacientes
abrem a tua roupa
expondo o teu corpo
à carícia da chuva
A tua pele arrepia
bebo nela
as gotas que deslizam
sigo com a língua
o percurso que traçam
Gotas de água correm pelos teus seios
param nos teus mamilos
como diamantes
cintilando
ao fogo do meu desejo
A minha boca cai sobre esse tesouro
que lambe
sorvendo sôfrego
gota a gota
a agua que desliza
Acaricias o meu cabelo molhado e ris
no teu riso
há o gemido incontido
a fome
Sinto-me Senhor de ti
Tiro a tua roupa
quero-te nua
frágil
pele clara açoitada pelo látego da chuva
Mostras-te para mim
plena
mulher
Arranco a minha roupa
e sinto a carícia fria da chuva
que não me acalma
excita-me
Abraço-te
e faço-te minha
assim
sem aviso
mas o teu corpo reage
entrega-se
és minha
Totalmente minha
impávida e serena a chuva cai
lavando o nosso suor
abafando os gemidos
Quando me solto em ti
rio quente de um prazer que te oferto
no mais profundo do teu ser
A chuva possui-nos
Agora é ela quem nos percorre
quem segue os trilhos
que há pouco
as nossas línguas traçaram
A chuva faz-nos seus
toma nossos corpos saciados
tremulos
e faz-nos seus
O dia cai
O jardim mostra as suas flores
molhadas
inclinadas
cansadas
Possuídas
Como nós!!!

3 comentários:

Édson disse...

Tese de Guerdjef



Tese de um pensador russo chamado Guerdjef, que no início do século passado já falava em auto-conhecimento e na importância de se saber viver.

Dizia ele: "Uma boa vida tem como base o sentido do que queremos para nós em cada momento e daquilo que, realmente vale como principal".



Assim sendo, ele traçou 20 regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e Stress, em Paris.

Dizem os "experts" em comportamento que, quem já consegue assimilar 10 delas, com certeza aprendeu a viver com qualidade interna.



Ei-las:



1) Faça pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo. Repita essas pausas na vida diária e pense em você, analisando suas atitudes.

2) Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou. Querer agradar a todos é um desgaste enorme.

3) Planeje seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de você.

4) Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez. Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você se exaure.



5) Esqueça, de uma vez por todas, que você é imprescindível. No trabalho, casa, no grupo habitual. Por mais que isso lhe desagrade, tudo anda sem a sua atuação, a não ser você mesmo.

6) Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos.
Não é você a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimônias.

7) Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas.



8) Diferencie problemas reais de problemas imaginários e elimine-os porque são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes.

9) Tente descobrir o prazer de fatos cotidianos como dormir, comer e tomar banho, sem também achar que é o máximo a se conseguir na vida.

10) Evite se envolver na ansiedade e tensão alheias enquanto ansiedade e tensão. Espere um pouco e depois retome o diálogo, a ação.



11) Família não é você, está junto de você, compõe o seu mundo, mas não é a sua própria identidade.


12) Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trave do movimento e da busca.

13) É preciso ter sempre alguém em que se possa confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilômetros. Não adianta estar mais longe.



14) Saiba a hora certa de sair de cena, de retirar-se do palco, de deixar a roda. Nunca perca o sentido da importância sutil de uma saída discreta.

15) Não queira saber se falaram mal de você e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento.

16) Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é ótimo ... para quem quer ficar esgotado e perder o melhor.



17) A rigidez é boa na pedra, não no homem. A ele cabe firmeza, o que é muito diferente.

18) Uma hora de intenso prazer substitui com folga 3 horas de sono perdido. O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não perca uma oportunidade de divertir-se.

19) Não abandone suas 3 grandes e inabaláveis amigas: a intuição, a inocência e a fé!



20) E entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente:



Você é o que se fizer ser

Deixo nesta tarde este pensamento a vc. Seja feliz

R.Carlos disse...

Seja Feliz !!!!!!!!!!
Jamais abandone seus sonhos,
eles são uma parte muito essencial de você.

Faça o que puder para torná-los realidade
pelos caminhos que você percorre,
pelos planos que você traça,
e em todas as coisas que você faz.

Não se prenda a erros passados.
Deixe para trás o dia de ontem
com todos os seus problemas,
preocupações e dúvidas.

Compreenda que você não pode mudar o que passou,
mas bem à sua frente está o futuro,
e você pode fazer alguma coisa por ele.

Não tente realizar tudo de uma vez:
a vida pode ser difícil o suficiente
sem que se somem frustrações à sua lista.

Dê um passo de cada vez
e atinja um ideal de cada vez também:
essa é a forma de descobrir o que de fato é a realização.

Jamais tema o " impossível "
mesmo que outros pensem que você não vencerá.
Lembre que a história do mundo está cheia
de inacreditáveis realizações daqueles que
foram suficientemente " tolos " ... para acreditar.

Não esqueça que há em você coisas
maravilhosas, raras e únicas.
E quando buscar um sorriso dentro de si,
e encontrar esse sorriso,
lembre que ele sempre será um reflexo
da maneira como as pessoas se sentem
em relação a você.

Clara disse...

Você tem certeza de que sabe amar ? Há os que:
Amam loucamente mas não sabem amar.
Amam um pouco mas sabem amar.
Não amam mas sabem amar.
Amam e sabem amar.
Sabem de amor mas não sabem amar;
Sabem amar mas não sabem de amor.
Amam e sabem de amor, mas não sabem amar.
Amam e não sabem de amor, nem sabem amar.
Amam e não sabem de amor, mas sabem amar.
Não amam, sabem de amor e não sabem amar.
Não amam, não sabem de amor e não sabem amar.
Amam, sabem de amor e sabem amar.
E por aí começa a confusão da relação amorosa.
Seria simples se tudo se resumisse a:
" Eu te amo. Você me ama ? " Sim, te amo."
Seriam felizes para o resto da vida, mas,
quando tal diálogo acontece e duas pessoas percebem que se amam,
a dúvida e a confusão não terminam. Começam!


Não está disposto na lei da vida que duas pessoas que se amam, sabem amar.
Que uma delas não saiba, e olha a relação rolando pela ribanceira !
O normal é as duas não saberem.
O raro é as duas saberem, escassos exemplos de relação em que a maturidade não interfere na intensidade.
O habitual é uma saber e agüentar o rojão pela outra.
Amar quase sempre atrapalha a sabedoria do amor.
Porque amar é um sentimento de necessidade nem sempre atendidas, de carência compensada, doação exercida ou entrega salvadora.
E isso é intenso demais para coabitar com a sabedoria do amor.
Saber amar !



Quanta gente prefere viver com alguém que sabe amar, mesmo que não o ame !
Quanto amor pode brotar da relação com quem sabe amar !
Quem sabe amar, pode até realizar o milagre
de acabar recebendo o amor de quem não o ama,
ou ama e não sabe, porque quem sabe amar
conhece a linguagem sutil do que está adormecido no outro, em estado de conto de fadas, carência, infância, flor ou adivinhação.
Sabe amar quem sabe o outro sem deixar de ser quem é.
Saber amar e conhecer o amor como forma de arte.
amor é apenas um sentimento.
Mas saber amar é uma criação, uma estética do amor.
Saber amar tanto é a flor na hora certa,
como o presente fora de hora ou a compreensão do desamor, do cansaço e dúvida passageira.
Mas é, com segurança absoluta, o olhar fundo do sentimento, o carinho preciso, a mão firme, a pele dialogando de igual para igual,
gritando ou sussurrando conforme a hora;
é a temperatura da paz recobrada.



Saber amar, não é a aceitação passiva do outro.
É a existência ativa do amor latente, real ou adivinhado.
Saber amar, implica conhecer virtudes que o amor agudo não sabe :
esperar, deixar fluir, não invadir as dúvidas,
não abafar nem impedir (ainda que com carinho)
que a outra parte ejete à tona a angústia ou a dor.
Quem ama desaba junto. Que sabe amar suporta esse desamor, se passageiro, é claro, porque quem sabe amar conhece a medida exata dos orgulhosos que valorizam o amor.
Nada é pior que a desistência de quem sabe amar,
do que o ferimento ou a indiferença provocados em quem sabe amar.



Quem ama tolera ser maltratado.
Quem sabe amar, jamais.
Este jamais permanecerá com quem maltrata
porque quer ser maltratado.
Quem ama, quando cansa, pode voltar amar.
Quem sabe amar, quando desliga é para sempre.
E mais fácil afrontar a quem ama
(um estado no qual todos ficamos meio sem caráter)
do que a quem sabe amar.
Este conhece tanto a importância de seu sentimento,
que quando o retira, machucado, incompreendido ou
ferido de morte, é para sempre.
Quem ama é mais inocente do que quem sabe amar.
Mas quem sabe amar é capaz de maldades maiores,
a partir do momento em que desiste.
Desiste de saber amar, porque pode até continuar amando.
Cuidado com quem ama !



Mas cuidado maior com quem sabe amar !
Quem perde um amor perde muito menos
do que quem perde alguém que sabe amar.
Saber amar não é depender. Não é ser servil.
Não é viver agradando. Não é fazer o que o outro quer.
Saber amar é ter as reações certas, de reação e crítica;
é ocupar todo o espaço e no tempo do sentimento
e da emoção do outro.
Saber amar é aquela parte que, partindo do amor,
procura (até encontrar) a parte do outro que um dia saberá amar.
E a encontrando tem paciência, afeto e tolerância com ela.
A menos que descubra que ela não merece.
Porque saber amar é também ter a coragem das renúncias,
bravura que raramente tem quem apenas ama.

Deixo-te estes ensinamentos de Artur de Távola, ninguém os segue mas são giros e para um apaixonado como tu são os ideais

imagem