terça-feira

A Bailarina

Havia naquele bailado
algo de sobrenatural
a musica vinha serena
e a bailarina dançava
sorria e bailava
Ela era um poema
solta naquele palco
não dançava, voava
Era linda a bailarina
deslizava e sorria
era bela a bailarina
ela era parte da melodia
Os olhos dela brilhavam
durante o suave bailado
em que ela era estrela
fantasia
mas no brilho do seu olhar
não havia alegria
e muita tímida
uma lágrima reluzia
Ninguém via a dor da bailarina
que tão só
tão menina
naquele palco dançava
e ela chorava
chorava e dançava
ao som da musica clássica
que a envolvia
e levava
Presa naquele bailado
Ninguém viu que se despedia
ao som da melodia
que suave a envolvia
ela deslizava
chorava e sorria
muito lentamente caiu
como uma pena tombou
naquele palco só seu
A lágrima cristalizou
e a bailarina parou
a melodia cessou
o coração não mais bateu
Mas não choraram os poetas
porque a bailarina tão linda
tão suave
tão menina
Ela não morreu
envolta em melodia Divina
ela dança suavemente
eternamente
de novo num palco só seu
tem por admiradores os anjos
Os santos
e às vezes Deus
e a bailarina desliza
no seu palco celeste
Porque hoje ela dança
eternamente
no Céu



Passa hoje mais um ano sobre a morte de uma amiga muito querida e muito doce que partiu como viveu, doce e suavemente. Morreu num ensaio de dança, mas não morreu, apenas partiu. Ela tinha perdido o homem que amava num acidente e dias antes confidenciou-me que não vivia, que suportava a vida. Fui talvez o único que não chorou quando ela partiu, porque eu sabia que ela queria ir ao encontro do seu amor. Quando caiu naquele ensaio, eu olhei-a e no olhar que trocamos vi um adeus e muita paz. Engoli as lágrimas e sorri-lhe, ela tinha conseguido, não importa a que preço. Hoje que passa mais um ano sobre a sua morte, eu rezo para que tenha encontrado e Ricardo, o amor da sua vida e que junto de Deus tenham reatado o romance. Espero Sissy que nalgum lugar tenhas encontrado a tua paz. Mais um ano sem ti. Que Deus te conceda luz, paz e o reencontro do teu amor.

3 comentários:

Paula Santos disse...

Eu sei como sofreste com a partida da Cecília. Todos nós sentimos. Foram pedaços de nós que perdemos ao longo da vida. Mas tens razão a morte dela foi mágica, se magia pode existir na morte. Um abraço para ti, que a Sissy descanse em paz

Pedro Lyon de Castro disse...

Quero deixar-te um abraço. Agradeço a tua lembrança. Só esse teu coração doce para te lembrares de uma amiga que já partiu há tanto tempo. És muito especial. Um abraço

Milú disse...

Sempre a surpreenderes-me... forma singela esta de homenageares uma amiga que partiu... há um ano. Só revela, mais uma vez, um grande e bom coração... na verdade, um amigo autêntico que mesmo na separação física inevitável recorda com ternura alguém que viveu, que sorriu, que amou.O sentimento de perda e de dor é incalculável, mas saber gerir tudo de ruim que a vida nos pode trazer é demonstrativo da capacidade de saber viver.

Beijinho de saudade

imagem