domingo

Teu corpo é um altar
onde te faço a oferenda
do meu desejo
Teu corpo é alva lua
onde projecto a sombra
do meu querer
Teu corpo é porto de
abrigo
onde lanço âncora
para fugir ao naufrágio
Teu corpo é mar que me
leva
à descobertas de sonhos
a viagens fantásticas
a batalhas
e lutas
Teu corpo é minha vida
minha estrada
meu caminho
onde feito peregrino
murmuro em branda
prece
a dor de te querer tanto
Teu corpo é jardim divino
onde nascem as flores
mais belas
flores que alimento
e rego
com meu desejo
meu suor
meu prazer
e até meu pranto
Teu corpo
é corpo apenas
mas corpo feito poema
da mulher que para minha
pena
Eu amo tanto, tanto, tanto






3 comentários:

Milú - m_nascimento@hotmail.com disse...

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando
porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu."
(Luiz Fernando Veríssimo)

Oi:

Depois deste excerto magnífico de Veríssimo,pouco posso adiantar perante o que agora li de ti.O teu texto, sem dúvida, sublima os sentidos e transforma as palavras em desejo... Lindo!!! Um beijo

Ana disse...

Meu amor, palavras para que depois de um texto assim, so te posso dizer que te retribuo cada palavra, cada sentimento que me ofereçes diariamente.
Amo-te

malu.diacopulos disse...

Adorei conhecer Doce lágrima !!Recebí mensagens daqui e gostei demais,moro em Brasília e gosto de participar e divulgar mensagens qucontenham conteúdo e contexto..Gostaria de receber suas mensagens em pps...e poder passá-las para enfeitar um pouco o dia a dia das pessoas
Um carinhoso abraço Malú

imagem