terça-feira

MÃE

Para ti minha mãe
Que partiste
Deixando uma saudade
Que não sei descrever
Que aos teus olhos
Fui eterno menino
A quem deitavas
No regaço
E sorrias
Num sorriso
Eterno
Que corria pelo meu rosto
E me acariciava
Ainda recordo
O calor das tuas mãos
Que me acariciavam os cabelos
Eu era menino
Homem
Nesse teu olhar
Que me percorria
Que me conhecia
E conhecendo
Desconhecia os meus defeitos
Fui herói aos teus olhos
Fui criança
Fui poeta
Fui quadro
Duma tela de amor
Pintada por ti
Tecida com linhas de sonho
De um sonho
Que inventaste
Naquilo que eu não era
Não fui sábio
Não fui herói
Não fui cientista
Não fui inventor
Fui eu, apenas eu
Tão real
Tão vulgar
Fui criança
Fui adolescente
Cresci
Errei
Amei
Deixei de amar
Perdi-me
E quando perdido
Era sempre em teus olhos
Que voltava a me encontrar
Tu olhavas e sorrias
Adivinhavas o que eu não dizia
Num instinto de amor
Que se doava a mim
Todos os dias
Fossem quais fossem os erros
Tu desfazias-te em desvelos
Não julgavas
Apoiavas
O tempo passou
Foi-se o tempo descuidado
Vieram problemas
Medos
Batalhas
Desilusões
Mas tu estavas ao meu lado
Com esse teu olhar doce
Que era a ponte
Que unia
Os nossos corações
Tu partiste de mansinho
Sem alarde
Levando contigo
O meu mundo secreto
Aquele que eu tinha
Nos teus olhos
Levaste gestos de ternura
Levaste segredos
Medos
As minhas confissões
Levaste tudo contigo
Mas ficou eterna a ponte
Que une para sempre
Os nossos corações
Tu não morreste
Partiste
Para uma viagem longa
Que me afastou de ti
Mas não me deixaste
Eu reencontro-te
Na beleza do luar
Que possui a meiguice
Do teu olhar
Nos pingos de chuva
Que possuem a doçura
Que tinham as tuas lágrimas
No sol
Que tem o calor
Que emanava o teu coração
Nas pétalas das rosas
Que guardam o perfume
E a suavidade do teu rosto
Tu não partiste
Multiplicaste-te
Naquilo que amo
Que me enternece
Que me ampara
Sei que no céu
Brilha uma estrela
Que sorri dos meus devaneios
Que olha compassiva meus erros
Que ilumina o meu caminho
Que me guia na escuridão
Que me ergue
Se eu cair
Que seca as minhas lágrimas
Se eu chorar
Tu que foste a primeira
Que me ensinou
Todos os tempos do verbo amar
Que foste mãe
E amiga
Minha vida
E minha luz
Que estarás para sempre comigo
Para além do tempo e do espaço
Onde a morte não tem vez
E o amor
Nos une para sempre
Num longo
E eterno abraço






Sem comentários:

imagem