quarta-feira

Tira do meu peito estas grades
que prendem o meu coração
que me sufocam, maltratam
e me deixam solitário
sozinho, sem direcção
Deixa que o teu coração
se abra
ao calor que o meu te dá
esquece a chave com que o fechaste
esquece o medo e o desespero
vem viver este amor
que te dou sem nada querer
Liberta do meu peito a vida
deixa que ela se vá
ao encontro do teu olhar
deixa que a vida seja
o futuro que se almeja
e que eu te posso dar
Tira do meu peito as grades
com que prendeste sem pena
o meu pobre coração
deixa que voe solto
que caminhe livremente
ao encontro do teu olhar
deixa que ame e e sinta
que ainda tem vida
valor
que ainda sabe amar
Tira do meu peito esta grade
liberta da prisão
o coração que te ama
que seja minha só a dor
que seja teu o sorriso
e seja nossa a chama
aquela luz eterna
que se acende para sempre
no coração de quem ama !!!


2 comentários:

Maria Clara disse...

Olá meu querido. É um prazer andar ao acaso pelo teu (doce). Emociona, excita, entusiasma. É lindo e sensual, romantico e sincero. Não tenho blog mas adoro ler bloggs alheios.O teu é fantástico.Para além da pessoa doce que és, da tua vida que não tem sido fácil, és um escritor fabuloso. Tu não transmites sentimentos, tu és o próprio sentimento na sua essência mais pura. Para ti o meu obrigado, pelo carinho e pelo amor com que escreves para todos nós. É um prazer reencontrar a tua alma aqui. O teu corpo(maravilhoso, hummm) eu espero para um almoço lá no meu restaurante. O teu molotoff aguarda-te. Tenho saudades da tua gargalhada, das tuas loucuras na minha cozinha. Amigo sai da concha. Esperamos por ti de braços abertos. Ao amigo maravilhoso eu deixo um abraço e um beijo. Ao escritor maravilhoso que és, eu deixo os meus respeitos.

Yolanda disse...

Oi Gonçalo. Eu adoro vc. Seu blog é lindo. Tão lindo como vc. Bjos, bjos

imagem