domingo


O tempo não perdoa
e pela mão se escoa
ninguém o agarra
o tempo passa
deixando o passado
cada vez mais longe
e trazendo o futuro
para o presente
queria agarrar o tempo
fazê-lo prisioneiro
quando me sorris
mas o tempo foge
cavalga apressado
e quando tento apanhá-lo
já me escapou
Não consigo detê-lo
nem sequer sustê-lo
nesta corrida veloz
o tempo foge
não passamos por ele
é ele que passa por nós

Sem comentários:

imagem