sábado

Estendi as mãos repletas
de amor
Que não viste
nunca sentiste
passou-te ao lado
Estendi as mãos repletas
de ternura
que maltrataste
de que te riste
de que zombaste
e por fim partiste
Estendi as mãos repletas
de sonho
de magia
de um amor constante
tão perturbante
que não te tocou
Estendi as mãos repletas
de ternura
de desejo
de calor
e tu nada viste
isolada
na tua loucura
Estendi as mãos repletas
de mim
da minha vontade
da minha dor
da minha esperança
Mas trouxe-as de volta
sem nada aceitares
e esse foi o fim
de um amor
que me fez criança
e deixou saudade

Sem comentários:

imagem