terça-feira

Quero deixar aqui o meu agradecimento especial a todos quantos me adicionaram e se preocuparam com a saude do titular deste blog.Apesar do seu reconhecido mérito a escrever nunca pensei que tivesse tantos leitores aqui, num blog que ele começou quase escondido dando o endereço a pouquissimas pessoas. Quero pedir desculpa às pessoas que me adicionaram e com as quais não pude falar, a minha vida infelizmente é muito corrida. Quero dizer a todos que depois de um período de algum susto para todos, ele começou a melhorar. Tratou-se de algo que podia ter sido muito grave mas que felizmente foi temporário. Como sei da louca paixão dele pela escrita suponho que ele regresse rápido aqui. Aquele homem anda sempre acompanhado de PDA e Noteboock, eu costumo dizer às amigas dele que têm uma rival terrível, a paixão dele pela arte em geral, mas principalmente pela escrita e pela arte que o notabilizou.Estou aliviada por brevemente livrar-me da obrigatoriedade de colocar aqui uma mensagem diária. Obrigação que tenho desempenhado a duras penas, porque não me sinto nada preparada para escrever . Eu sei lidar melhor com nºs do que com letras. Agradeço a todos a preocupação, o interesse e o carinho. A todos os que sabem de quem estamos a falar e aos que não sabem. O que interessa é que todos se preocuparam com uma pessoa que reconhecidamente tem um coração do tamanho do mundo, que ama e ajuda toda a gente e que tem sempre uma palavra de ternura e apoio. Quero deixar também aqui o meu renovado apreço e a minha admiração pela familia do nosso amigo, tanto os do Sul como os do Norte que mais uma vez se uniram em torno dele com todo o carinho e atenção. Admiro esta familia porque nestas alturas e apesar dos afazeres que têm não serem poucos, unem-se numa muralha em torno dele, tipo:- Daqui ninguém passa!!! E pobre de quem o tente. Admiro a coesão e o carinho de ambos os pólos familiares.E agradeço a Deus por mais uma vez o meu amigo ter passado por um aperto e ter saido dele airosamente. A este meu amigo eu devo horas de conversas do melhor que tenho tido, devo o meu emprego e devo tanta, mas tanta coisa que não sei como agradecer. Apenas o posso fazer sendo amiga como sempre tenho sido, ouvindo-o e apoiando-o quando precisa. Esperemos que agora comece uma vida nova, sem sofrimento, que seja muito, muito feliz. De todas as pessoas que merecem ser felizes, ele merece-o acima de tudo. Nunca conheci alguém que se deia tanto aos outros e embora preservando a sua intimidade, mesmo por aqui ele dá todo o apoio que pode. Há uns tempos atrás, depois de regressado do Brasil, convidei-o para jantar connosco. Ele foi, levando uma garrafa de um bom vinho Francês que é coisa que não dispensa e que na minha casa não há. Entrou, esteve na sala a falar com o meu marido, com os meus filhos e ao fim de um tempo, olhou o relógio e disse-me:
Paula posso usar o teu computador?
Eu olhei para ele e perguntei se não achava melhor descansar, estar em paz e esquecer o computador, o trabalho, tudo , só por uma noite. Ele disse-me:
Não Paula, tenho um contacto de internet com um problema grave, que disse que queria falar comigo neste horário e se a pessoa já está tão em baixo, como ficará se até eu lhe virar as costas?
O meu marido olhou meio chateado e perguntou se o tal contacto sabia quem ele é. Ele respondeu simplesmente:
Não Àlvaro, não sabe e nem precisa saber. Essa pessoa não precisa das palavras de............precisa das palavras do Gonçalo, um amigo que ele conheceu na net e é isso que vai ter. O meu apoio, o meu lado público não interessa, interessa o que sou e o que posso dar. E eu quero dar o meu apoio como qualquer utilizador anónimo e desconhecido.
Resultado: Foi para a internet, falou com o contacto e em virtude dessa conversa tivemos que atrasar o jantar quase duas horas. Acho que Deus o ajuda pelo muito que ele ajuda os outros e pelo apostolado de amor que espalha por ai a quem precisa. Para ti amigo , o meu carinho, e o meu desejo que voltes logo a escrever aqui antes que eu assassine o teu blog de vez. Um beijo de carinho para ti e até logo.

Sem comentários:

imagem