terça-feira

Sempre


Acontecem coisas na nossa vida que nós não planejamos, que nunca nos passou pela cabeça sequer fazer. Ao longo da minha vida já fiz viagens que nunca imaginei, já vivi momentos mágicos, outros tristes, mas que estavam bem fora dos meus planos. A vida é uma eterna incógnita, por mais que a planejemos havera sempre uma percentagem elevada passível de surpresas. Umas boas, outras más, mas sempre surgem. Acho que a vida seria uma eterna monotonia se assim não fosse. Se tivessemos a noção exacta do nosso futuro, se ele fosse inteiramente previsível, seria isento de magia, de encanto e de sonho. Eu odeio a monotonia, gosto de deixar que a vida me leve e me prepare surpresas. Gosto de acordar de manhã com o toque inesperado do telefone, que muitas vezes me tráz surpresas e me obriga a viver esse dia de forma totalmente diversa do que tinha planejado. Tenho amigos que se queixam da imprivisibilidade da vida. Para mim o encanto da vida reside exactamente no facto de ela ser totalmente um desafio. Para mim os desafios são um estímulo acrescido, eu gosto de viver no meu próprio limite, detesto tudo que seja excessivamente calmo ou monótono. Uma vida rotineira, calma, certinha, acaba comigo. Eu gosto de um pouco de acção, um pouquinho de risco, tudo aquilo que quebre a monotonia dos dias repetitivos. A monotonia cansa-me, eu preciso de algo que me faça agilizar a capacidade mental de reagir, de responder sob pressão. Claro que profissionalmente os meus riscos são calculados, não me posso deixar arrastar pela fantasia. Na minha vida privada ainda que condicionada pela profissional arrisco mais. Deixo que a vida me leve, me mostre caminhos. Gosto de fazer viagens de improviso, acordar de manhã, ligar para a minha agência de viagens, e escolher um destino ao acaso. Não o faço com mais frequência porque a vida profissional não deixa. Gosto de visitar Paises exóticos, perder-me no seio de outras culturas, outras religiões, sair das rotas turísticas e embrenhar-me no Pais real. Só assim conheço a verdadeira essência do povo que visito. De pequenas coisas imprevisíveis vai-se construindo a minha vida. Assim evito que a monotonia me escravize e deixo que a vida trace seu rumo e crie a minha história.

Sem comentários:

imagem