domingo

procura


A vida é uma eterna surpresa. Durante anos procurei uma pessoa que fosse perfeita, que coubesse exactamente dentro dos meus sonhos que preenchesse todas as minhas expectativas. Não é facil encontrar alguém assim, ainda mais quando se busca perfeição, como eu buscava. Um dia há sempre alguém que nos desperta a atenção. Por um motivo qualquer dá-se um clik, um estalido e entramos em sintonia com essa pessoa. Quando a encontrei eu esperava receber dela aquilo que sempre tinha sonhado. Coisas que estão para além da compreensão. Eu queria uma pessoa de carácter, forte, mas ao mesmo tempo gentil, doce. mas ao mesmo tempo ácida. Calorosa mas ao meu tempo distante. Quando supus que essa pessoa realmente era a que eu procurava, fiquei feliz. Durante algum tempo eu fiquei em contacto quase directo com ela. Aprendi a conhecer as suas emoções, os cantos do seu coração e a cor da sua alma. Mas durante essa descoberta, eu comecei a descobrir em mim também coisas que desconhecia. Infelizmente a maior parte dos meus amigos chama-me frio, orgulho, distante. Eu nunca me senti assim, mas reconheço que enfiei essa máscara. Que deixei que essa ficasse como a minha marca registada e de tantas vezes repetida, comecei a convencer-me que era realmente assim. Mas ao tentar acompanhar essa pessoa, que parecia realizar todos os meus sonhos, comecei também a fazer uma viagem ao interior de mim mesmo. Comecei a ver que eu era capaz de dar ternura, de dar carinho, amizade, compreensão e amor. Por cada descoberta da outra pessoa eu me descobria. Descobri a minha capacidade de entrega nas madrugadas onde se trocavam confidências. Descobri a minha capacidade de dar carinho, na necessidade que eu sentia de acarinhar. Descobri que dentro do meu coração havia muito de bom, coisas que a minha arrogância exterior deixou intocadas. Para descer à alma de outra pessoa eu descobri a minha. Descobri a minha capacidade de entrega, descobri um mundo de sentimentos, descobri que posso amar sinceramente. Descobri que as dores da vida não me tiraram ainda nenhum dos sentimentos que são acervo do meu coração. Para conhecer uma outra pessoa, eu aprendi a conhecer-me, os meus defeitos, as minhas virtudes e até os meus limites. É conhecendo-nos que aprendemos a conhecer os outros. E conhecendo os outros haverá sempre um pouco de nós ainda para descobrir

Sem comentários:

imagem