segunda-feira


O medo de sofrer torna-nos muitas vezes cobardes. Por medo de sofrer, sofre-se às vezes muito mais. O medo é um sentimento a que ninguém escapa. Procurar um sonho, algo que nos faça bem, que se assemelhe à felicidade sempre acarreta risco e perante esse risco é muito normal sentir medo. O medo nem sempre é sinal de covardia, o medo é muitas vezes a causa directa de muitas desilusões. Quem já sofreu muito certamente tem medo de voltar a sofrer, quem já caiu tem medo quando recomeça a caminhar, quem já se queimou tem medo de se aproximar do fogo. Procurar um sonho não está isento de risco, e isso pode fazer renascer o medo de quem já sonhou e sofreu. Nunca existem dois sonhos iguais, nem 2 sofrimentos iguais, mas o medo é sempre igual.Procurar um sonho, é dar um tiro no escuro sem sabermos onde vamos acertar. Os sonhos são factos semi-concretos ou semi-reais. Têm de real aquilo que de verdade colocamos neles. Trazê-los para a realidade nunca é facil, exige uma boa dose de coragem e de capacidade de mudar. A simples ideia de poder sofrer já assusta e quando outros sonhos já descambaram em sofrimento o medo estará sempre presente. Realmente pode sofrer-se muito mais tentando evitar o sofrimento, mas para um coração ferido pode ser pior o sofrimento e instintivamente esconde-se e fecha-se para que a ferida não reabra. Acho que a dor não pode ser contabilizada, nunca saberemos se sofreriamos mais ou menos, se tivessemos tentado e procurado o sonho. Talvez o não procurar tenha uma dor acrescida, a dor de nunca ter conseguido perseguir esse sonho, resgatando-o. Ou talvez esse acto instintivo de protecção de certa forma adormeça a dor. É sempre doloroso não viver um sonho, mas pode ser igualmente doloroso vivê-lo quando já nos mostrou que causa sofrimento. Cada um de nós tem uma forma diversa de encarar a vida, pode ser que realmente se sofra mais, quando paramos por medo de sofrer. Cabe a cada um de nós fazer suas próprias escolhas e seguir os seus próprios caminhos.

Sem comentários:

imagem