domingo

Na maior parte das vezes realmente a mulher é inimiga de si própria. Ao longo da minha vida conheci mulheres maravilhosas e ao dizer maravilhosas não me refiro só ao aspecto exterior. Conheci mulheres que me emocionaram, outras que me tocaram e algumas por quem me apaixonei. Nunca tive um tipo classificado de preferência em relação à mulher, não escolho uma mulher por altura, cor de cabelo, traços do rosto, nada disso, de repente conheço alguém que por um motivo que desconheço me chama a atenção e me prende. E quando isso acontece não questiono o motivo e nem o porquê. Simplesmente vivo e deixo acontecer. Decepções sim, já tive várias, muitas vezes enganei-me em relação a uma pessoa. Como provavelmente outras se terão enganado em relação a mim. Mas de todas as mulheres com quem me relacionei, fosse por amor ou simples amizade, as piores decepções que tive aconteceram quando as mulheres se tornaram inimigas delas próprias.A mulher torna-se inimiga de si própria quando se enfeita demais, quando usa acessórios em excesso, ninguém gosta de sair acompanhado por uma árvore de natal. A mulher é inimiga de si propria quando mente, quando joga, ou quando tenta controlar um relacionamento. E é inimiga de si própria quando se auto-afirma como inteligente em excesso, quando faz de tudo para mostrar que tem razão, que só ela sabe, que não precisa de ninguém, que é independente. Bem, com esses atributos todos quer companhia para quê? Noutro dia ouvi uma frase de uma pessoa muito especial que me fez sorrir, a meio de uma conversa ela disse-me:- Ás vezes é bom ser loira, (que me perdoem as loiras, mas ela queria dizer burra) dá tanto jeito! E realmente por vezes é assim. Nenhum homem gosta de ser enfrentado ou questionado 24 horas por dia e muitas vezes ser tolerante, não se arvorar em super-mulher pode ser a maior qualidade dessa mulher. O bom mesmo é que a mulher se mostre exactamente como é e não como queria ser.

imagem