quinta-feira


Li essa frase a achei que tinha lógica. Ao longo da minha vida conheci muitas mulheres, tentei sempre entendê-las, conversar com elas, mas acho que raramente as consegui entender. Porque ao contrário de nós, que a cada palavra damos o sentido exacto , elas não, elas fazem uns jogos subtis, umas dualidades de sentido que muitas vezes me deixam a boiar ao sabor das frases sem atingir bem a sua profundidade. As mulheres são enigmáticas por natureza, constroem duplos sentidos até para as frases mais simples. Nunca vi uma mulher focar um assunto de frente, sempre arranja um modo de delicadamente sair pelas transversais, de iludir as respostas, de fugir a perguntas directas. Todas as mulheres, até aquelas que são mais directas e frontais utilizam duplo sentido nas palavras. Raras vezes consegui arrancar uma resposta rápida, imediata e linear a uma mulher. Realmente a mulher costuma dizer que não, quando quer dizer sim , tem uma capacidade imensa de iludir sentimentos e de me deixar atónito. Já falei e conheci todo o tipo de mulheres, desde as mais doces, às mais impulsivas. Em todas elas, seja sob a capa da doçura ou da impulsividade encontrei a mesma capacidade de escamotear sentimentos. É verdade que a mulher é a mais bela obra de Deus, belas, sensuais, delicadas, mas ao mesmo tempo enigmáticas, capazes de nos levarem a acreditar naquilo que querem. Eu adoro e respeito todas as mulheres do mundo, todas sem excepção pela sua capacidade de gerar vida. De doar a sua vida em outras vidas. Mas não vou negar uma coisa, mesmo sendo um eterno admirador das mulheres confesso que não as conheço totalmente, que vou passar pela vida, amando-as, admirando-as, mas sem as compreender .

imagem