quarta-feira

encontros e desencontros


O amor é um sentimento complicado. Para que ele viva toda a plenitude da sua essência é necessária a entrega de dois corações que se amem. Embora isso seja o ideal, nem sempre o conseguimos alcançar. Amar alguém faz com que o nosso coração se encha de luz, de alegria, mas também de inquietação e de dor. Nenhum amor é isento de dor. Podemos amar sem sermos correspondidos. É um amor só feito de entrega, da doação de um sentimento sem retribuição. É um amor sem esperança, que mais causa sofrimento que qualquer outra coisa. Ninguém controla os sentimentos, e amar quem não nos ama pode acontecer. Não tendo propriamente o coração vazio porque o amor por outrém o preenche, fica uma sensação de inutilidade. Compreendemos que o nosso sentimento é infértil, incapaz de provocar no outro alguma receptividade. Amar sozinho não é facil. Deve ser uma das experiências mais dolorosas a nível de sentimentos. Quanto mais se ama maior a sensação de vazio, a dor da regeição, a angustia de não poder ter, abraçar, possuir completamente a pessoa amada. É um sentimento doce e amargo, doloroso e terno, mas que doi muito, que causa uma ferida que sangra por muito tempo. Outra coisa que pode acontecer é sermos amados por alguém que não amamos. Pode parecer que é ótimo, que faz bem ao ego, e todas essas coisas que costumamos dizer, mas não é verdade. Ser amado e não amar também deixa uma sensação de vazio. Sentir que alguém nos ama sinceramente sem que nos seja possível retribuir deixa um amargo na boca e uma dor forte no peito. Queremos amar, partilhar aquele sentimento lindo que nos oferecem, queremos dar na medida em que recebemos, mas o nosso coração não pulsa no mesmo ritmo, não conseguimos retribuir nem um décimo do que recebemos e isso magoa. Sentimos que mesmo sem querer magoamos a unica pessoa que não tinhamos o direito de magoar, que damos espinhos a quem nos dá rosas. Mas se iludirmos quem nos ama, oferecendo por compaixão um falso amor será ainda pior. Porque no nosso coração ficará a dor de estarmos a enganar deliberadamente alguém, de sabermos que estamos a mentir, e será dolorosa a decepção quando a pessoa que enganamos descobrir que tudo não passou de uma mentira. O amor é lindo sim, mas tem que ser sincero e verdadeiro. Nunca pode ocultar uma mentira. O amor vive-se na sua plenitude quando dois corações se encontram e se entregam numa dádiva divina de amor. Nesse momento nasce um sentimento forte, intenso, intemporal. Quando dois corações se fundem num só, Deus abençoa esse amor e renasce a esperança no mundo. Quando dois corações se amam, a lua brilha no céu, cumplice desse amor. Quando dois corações batem no mesmo ritmo, os anjos dançam no céu uma musica de esperança. Quando dois corações se encontram e se amam , nasce um milagre de vida.

Sem comentários:

imagem