domingo

Amor


O amor é um sentimento sublime, mas encarado de forma diversa, e isso muitas vezes é uma questão cultural, de geração, ou de idade. Por exemplo na cultura árabe a maioria dos homens, duvido que jamais tenha feito uma declaração de amor a uma mulher. Eles sentem-se seres superiores que podem escolher a mulher que querem, podendo tê-la sem o consentimento dela própria. Para nós é deplorável, para eles apenas uma questão cultural. Creio que alguns desses homens amem a mulher que escolhem, mas não devem fazer maioria. Piora muito quando a mulher por normas religiosas têm que usar véu e não pode trocar sequer uma palavra com o futuro esposo, Nessas circunstâncias, sem nunca terem trocado uma palavra, uma ideia, deve ser complicado. Acredito que nesses casos o amor nasça depois, antes é impossível. Um amigo meu que vive na China, pais bem mais liberal, mas que ainda está muito longe da liberdade que se vive aqui, definiu-me o casamento lá, de uma forma interessante. Disse-me:- Vocês ai casam porque se amam, nós aqui amamos porque casamos. Neste caso um amor nascido depois do casamento, feito da intimidade e da convivência. Bem, não deve ser um amor facil, mas depois de nascer será certamente mais forte. Mas mesmo na nossa cultura liberal, em que o amor se vive livremente, as formas de amor mudam consoante a idade que temos. Aos 18 anos não se ama propriamente. Deseja-se. Queremos uma miuda porque tem a cintura fina, ou os olhos bonitos, ou um sorriso sedutor. Não é amor, é apenas sexo, o despertar pleno da sexualidade que deseja, quer, precisa, mas certamente não ama. Depois com mais alguma maturidade vem a fase em que o amor vem associado a um desejo forte, à sexualidade na sua plenitude. E nessa altura pensamos, amo-te porque preciso de ti. O amor vem associado ao desejo, impera o desejo em primeiro lugar. Traduzindo eu diria, amo-te porque te quero ter. É um amor carnal, feito de sexo essencialmente. Fora da cama pode dar tudo errado, podem não ter muitas afinidades mas se o sexo for bom, o amor, ou melhor o relacionamento vai-se mantendo. Pode durar se com o passar do tempo o amor amadurecer e passar para a fase seguinte. A fase seguinte é a fase mais calma, em que a sexualidade se vive em pleno, mas com maturidade. Nessa altura inverte-se a frase. è um momento de amor consciente e diz-se:- preciso de ti porque te amo. É a altura da segurança, em que realmente o amor impera. Nesta fase o sexo não vem primeiro, vem primeiro o amor, a vontade de estar junto por amor, liga-se a sentimentos como a ternura, o carinho. Nessa fase é muito importante a cumplicidade, dá-se especial atenção a gestos, palavras, actos. O sexo não deixa de ter importância, mas não vem como incentivo para o amor, antes sim como complemento. Vemos na pessoa amada, não um corpo destinado ao nosso prazer, mas sim uma pessoa que amamos, com quem partilhamos segredos, opiniões, com quem gostamos de estar, que nos complementa. Nesta fase mais madura, vive-se o verdadeiro amor, aquele que nasce primeiro da junção da alma do que do corpo. Nesta fase o amor adquire outro significado mais pleno, mais abrangente. E realmente nesta fase que já é a minha, eu posso dizer, :- preciso de ti, porque te amo.

Sem comentários:

imagem