sábado

amor


Às vezes uma simples flor dada com carinho substitui um mundo de palavras. Outras vezes um sorriso, um abraço, um sms, um email, qualquer gesto simples serve para dizer que amamos alguém. E quantas vezes perdemos grandes amores porque não fomos capazes de dizer : Eu te amo. Quantas vezes um grande amor morre por orgulho, por excesso de incompreensão , por mágoa. Quantas vezes paramos e olhamos para sentirmos como tratamos quem dizemos amar. Num outro dia entrei num stand para ver um carro que me agradou. Estava a olhar tão entretido, que nem vi um outro cliente atrás de mim. Recuei e bati em cheio no Senhor. Claro que fiquei preocupado com a indelicadeza e pedi desculpa, desculpa essa que foi aceite também muito delicadamente. Sem pensar mais nisso fui para casa. Cansado claro, exausto mesmo, com os nervos à flor da pele, pronto a explodir com quem me desse oportunidade. Sentei-me ao pc, fiz o arquivamento de uns documentos, falei também delicadamente com uns amigos a quem por hábito chamam virtuais, mas que para mim são reais, mas nem isso me acalmei. Quando encerrei o pc fui para a sala, esperar que servissem o jantar. Fui até à estante escolher um livro, e como estava de costas, não vi que a minha filha estava parada mesmo atrás de mim. Dei um passo para trás e esbarrei nela . A minha primeira reacção foi gritar: - Caramba, sai já de trás de mim!!! Ela olhou-me com uns olhos muito abertos e fugiu da sala a correr. Fiquei chateado, por mim, pela minha falta de paciência. Então o meu irmão aproximou-se de mim e apontou-me um papel no chão. Baixei-me e apanhei-o. Era uma folha tipo A4, contendo um desenho da minha filha. Era um boneco que supostamente seria eu de mão dada, com um outro bem mais pequeno que supus seria ela. No canto superior direito, com uns traços ainda muitos inseguros, feitos pela sua mãozinha delicada de menina ainda quase bebé, estava escrito : papá. Nesse momento eu percebi que a minha filha tinha parado atrás de mim para me oferecer o desenho e eu reagirá daquela forma. Pensei como tinha sido educado no stand para o senhor em quem bati e como fui grosseiro e indelicado com a minha filha. Esqueci o jantar e fui procurá-la no quarto. Estava deitada na caminha dela, de bruços a chorar. Abracei-a e deixei que as minhas lágrimas se confundissem com as dela. Ela olhou-me espantada. Pedi desculpa, disse-lhe o quanto a amo e agradeci o desenho. Para que não sejamos injustos com quem amamos, devemos pensar antes de agir. Devemos sempre ter coragem de dizer que amamos, a quem realmente amamos. Deixar morrer um amor ou uma amizade por excesso de frieza, indelicadeza ou até orgulho é uma tremenda asneira. Mostremos o nosso coração sem reservas. Mais vale pecar por excesso que por falta.

Sem comentários:

imagem