terça-feira

Sonhos

E
Cada sonho que passa na nossa vida
marca, deixa saudade. Alguns entram na nossa vida e partem quase logo de seguida, iguais a nuvens passageiras que apenas ficam o tempo suficiênte para humudecer nossos olhos e deixarem cair uma chuva de prata que toca a alma. Outros entram na nossa vida bem devagar, tão lentamente que nem nos damos conta de que existem, de que podem ser importantes. A cada dia uma nova raíz cresce e se instala no nosso coração. Um dia acordamos e sentimos como esse sonho já vive bem enraizado em nós, de como cresceu. E esses sonhos são os que mais marcam, os que mais nos fazem gritar de dor se nos forem arrancados.
E quando realmente por algum motivo nos são tirados deixam uma saudade eterna. Acho que a saudade é proporcional ao tamanho do desejo, e da entrega. Tudo o que foi um grande amor será sempre uma enorme saudade. Às vezes pergunto a mim mesmo porque insistimos em amar, em dar-nos, quando sabemos que isso pode implicar uma dor realmente forte, que pode implicar um sofrimento que rasga até ao mais intimo do coração. Não é facil encontrar resposta para essa pergunta. Amamos porque o ser humano foi feito para amar, porque cada amor é um sonho que nos abraça a alma e nos deixa o coração entregue, devastado e aniquilado por um sonho que desejamos eterno. Quando se ama tudo se esquece. Esquecemos o risco de sofrer, o risco de chorar, o risco de sentir para sempre esse amor fugir e deixar em seu lugar um vazio enorme. Quando se ama de verdade, o nosso coração transborda de uma luz suave, de uma luminosidade, de um desejo que não dá lugar a mais nada. O amor é um sentimento forte, complexo, que não nos deixa lugar para a racionalidade, para o receio, para o temor. Ama-se mesmo sabendo que esse amor pode causar dor, ama-se em cima do muro mesmo temendo cair, ama-se a cada minuto em que o sonho magicamente nos toca. Se eu tivesse a capacidade de poder fugir ao amor, de me fechar ao sonho, mesmo assim eu quereria amar. De que serve não sofrer, não sentir o corpo devastado pelo desejo, não sentir na alma a dor de uma saudade, não sentir o medo de perder, de que serve tudo isso se nunca se conheceu a doçura de amar, o calor de um desejo terno, a espera doce do ser amado. Fazendo um balanço entre o amor e a dor, creio que é preferível amar mesmo correndo todos os riscos. mesmo sentindo na pele o medo de sofrer, mesmo que o nosso coração grite de angustia. Cada amor, cada sonho que termina será sempre uma dolorosa saudade. Ninguém consegue escapar disso. Mas nem sempre amar é sinónimo de sofrer, muitas vezes Deus coloca no caminho de quem ama um amor verdadeiro, eterno, intemporal. Um amor que viverá para sempre, um amor que nunca deixará na boca um travo amargo de saudade. Mas mesmo quando assim não acontece, vale sempre a pena amar, sentir o calor único no peito que vem junto com a ternura, o carinho e o desejo que acompanham esse sentimento. Que cada amor forte, terno e carinhoso que sentimos possa ser eterno e se prolongue no nosso coração. Mas mesmo que o sonho se desfaça, que o amor nos deixe na saudade, na dor, mesmo assim é essencial amar. Se tu foste o meu mais belo sonho, serás certamente um dia a minha maior saudade. Ou talvez não, quem sabe se não poderás ser a minha mais doce realidade.

Sem comentários:

imagem