domingo

Primavera


E de novo chegou a primavera. Os campos vestem-se de um verde que vai do tom suave ao intenso. Pelos campos florescem as flores lindas e agrestes que nenhum jardineiro cuida. Os passarinhos reaprendem de novo os seus cantos repletos de alegria. Nos lagos as rãs coaxam de felicidade, aquecendo seus corpos na doçura do sol ainda timido. Para mim a primavera traz de certa forma um renascer. É um ciclo de vida que recomeça. As árvores que na inclemência do inverno perderam as suas folhas revestem-se de novo do seu manto verde. As flores que esquecidas morreram no frio das noites geladas, lançando num ultimo suspiro as suas sementes na terra, renascem firmes e belas, prontas a uma floração odorosa e colorida. Os pássaros apressam-se a construir seus ninhos para lá reiniciarem um novo capítulo de vida, fazendo nascer os passarinhos que também entoarão seus canticos de alegria na proxima primavera. Nesta estação do ano o nosso sangue parece reaquecer nas veias e saimos da dormência meia apagada do inverno. A primavera é um hino à vida e tudo parece despertar como por magia. Nos lábios dos desconhecidos com quem me cruzo nascem sorrisos contagiantes. Nos olhos das crianças surge um novo fulgor, uma nova alegria. O céu azul, limpo das tristes nuvens cinzas do Inverno parece uma enorme cúpula de safira cobrindo a terra e espelhando os raios doces e cálidos do sol. Até os ribeiros nos campos, cantam alegremente por entre os seixos, percorrendo o seu caminho saltitantes, plenos de vida. A primavera faz renascer nos corações mil esperanças, uma alegria que surge do brilho do sol, do céu sereno, das flores que se oferecem perante nossos olhos extasiados. Posso afirmar com toda a certeza que eu amo a primavera. Pelas sensações que ela me causa, pelo desejo de vida que de repente me assalta, pela beleza que a natureza expõe perante os meus olhos. Eu abro o meu coração e encho-o da beleza que me é oferecida. Encho-o de risos murmurados pelas águas que correm, do brilho do sol que acaricia a minha pele, da ternura suave de uma brisa que me traz os perfumes das mil flores espalhadas pelos campos, da musica composta por um compositor mágico e interpretada pelos pássaros, encho o meu coração do verde sereno das folhagens das árvores, das mil cores que as flores me oferecem, encho em suma o meu coração de vida. Dessa vida palpitante que a natureza nos oferece, e sinto as minhas veias pulsarem no ritmo dela e o meu corpo encher-se dessa vida sublime, pura e ciclicamente repetida.

Sem comentários:

imagem