segunda-feira

A esperança

A esperança realmente é um dos sentimentos mais persistentes que conheço. Tudo pode ir morrendo lentamente no coração humano. As certezas, as alegrias, as tristezas, os medos, os amores, as amizades, por mais que o coração seja espoliado de tudo, algo sempre fica, a esperança. E é nela que muitas vezes nos agarramos para continuarmos a lutar, para continuarmos a viver, para encararmos o mundo e a nossa realidade. Podemos encarar a esperança como um balão de oxigénio para o sonho e para a vida. Quando olhamos para a nossa realidade e só vemos vazio, quando o cinzento cobriu o azul do nosso horizonte com grossas pinceladas, quando o nosso Sol se escondeu por trás da montanha da desilusão, quando a decepção assassinou o ultimo sorriso que ainda nos dançava nos lábios, ainda assim não estamos totalmente sós. Porque bem no fundo do nosso coração, lutando contra factos, fechando os olhos à realidade, tentando libertar o sonho, a esperança persiste. É um sentimento que sobrevive sem grandes alardes, não é quente e calorosa como a amizade, nem explosiva e doce como o amor, não nos sufoca como a paixão e nem nos deixa sem rumo como o desejo. A Esperança é discreta, nos momentos de felicidade nem a sentimos. Nos momentos de amor nem a lembramos. Mas embora constantemente ignorada, ela não desiste e nem esmorece, continua bem no fundo do nosso coração à espera que o nosso desespero clame por ela. E quando tudo o mais morre, ela renasce limpa e suave, trazendo-nos de volta a capacidade de querer, de amar, de sonhar e de possuir. De fazer renascer o sonho e de trazer de volta aquilo que de bom se perdeu. A esperança é o ultimo sentimento a morrer. O mais persistente, o mais convicto e o mais lutador. Mas pobre do sonho ou do coração em que a esperança morre, porque esse acontecimento raro se ocorre sela para sempre toda a possibilidade de renascimento. No coração onde a esperança morre não há mais nada. Apenas cinzas e elas são estereis. Frias, E das cinzes nada renasce, apenas se esquece e se perde para sempre.

Sem comentários:

imagem